Histórico:

- 05/06/2016 a 11/06/2016
- 17/11/2013 a 23/11/2013
- 13/10/2013 a 19/10/2013
- 04/08/2013 a 10/08/2013
- 28/07/2013 a 03/08/2013
- 29/07/2012 a 04/08/2012
- 22/07/2012 a 28/07/2012
- 03/06/2012 a 09/06/2012
- 27/05/2012 a 02/06/2012
- 22/04/2012 a 28/04/2012
- 25/10/2009 a 31/10/2009
- 18/10/2009 a 24/10/2009
- 19/07/2009 a 25/07/2009
- 07/06/2009 a 13/06/2009
- 10/05/2009 a 16/05/2009
- 03/05/2009 a 09/05/2009
- 26/04/2009 a 02/05/2009
- 24/08/2008 a 30/08/2008
- 22/06/2008 a 28/06/2008
- 08/06/2008 a 14/06/2008
- 01/06/2008 a 07/06/2008
- 25/05/2008 a 31/05/2008
- 18/05/2008 a 24/05/2008
- 11/05/2008 a 17/05/2008
- 04/05/2008 a 10/05/2008
- 27/04/2008 a 03/05/2008
- 13/04/2008 a 19/04/2008
- 30/03/2008 a 05/04/2008
- 23/03/2008 a 29/03/2008
- 16/03/2008 a 22/03/2008
- 02/03/2008 a 08/03/2008
- 24/02/2008 a 01/03/2008
- 17/02/2008 a 23/02/2008
- 10/02/2008 a 16/02/2008
- 03/02/2008 a 09/02/2008
- 27/01/2008 a 02/02/2008
- 20/01/2008 a 26/01/2008
- 13/01/2008 a 19/01/2008
- 06/01/2008 a 12/01/2008
- 30/12/2007 a 05/01/2008
- 23/12/2007 a 29/12/2007
- 16/12/2007 a 22/12/2007
- 09/12/2007 a 15/12/2007
- 02/12/2007 a 08/12/2007
- 25/11/2007 a 01/12/2007
- 18/11/2007 a 24/11/2007
- 11/11/2007 a 17/11/2007
- 04/11/2007 a 10/11/2007



Outros sites:

- UOL - O melhor conteúdo
- BOL - E-mail grátis


Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


Contador:

Blog Sensual



Rosas?

Encanto-me com as rosas,

Não só por sua beleza

ou por seu perfume...

 

Encanto-me com as rosas,

por saber da enorme

alegria que elas lhe trazem,

quando lhe presenteio.

 

As rosas são sim uma

Declaração de amor.

Declaração que refaço

No abraço, no beijo de amor.

 

No encantamento das rosas,

um eterno apaixonar.

E assim como rego as rosas,

Que são pra presentear-te.

 

Rego também nosso amor,

Que me encanta...

Como as rosas todos os dias.

 

(Autor: Fernando José da Silva)



- Postado por: Delírios de Poeta às 21h50
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Lágrimas

Pranto de amor,

Acalanto de dor.

Pranto de saudade,

De tristeza ou alegria.

 

Pranto que me arrebate,

Cada vez que se tardia.

Consolo-me com a lua,

Que nunca me deixa só.

 

Um poeta de muitos amores

ou um único amor pra muitos poetas.

Amor que invade a alma.

Que toma conta do peito.

 

Amor mais que declarado,

Amor escancarado, discarado.

Um misto de dor no amor.

Uma lágrima que rola.

 

Uma lágrima, um amor e um  poeta.

Ou um único amor e muitas lágrimas.

Pobre... Pobre poeta.

(Autor: Fernando José da Silva)



- Postado por: Delírios de Poeta às 21h26
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Fina Flor

Fina flor. Flor mulher.

Pele macia, toques de veludo.

Perfume que inebria e prenche a alma.

De beleza rara, admirada.

 

Flor mulher cheia de encantos,

Desejada, única em seu jardim.

Flor que merece meus prantos.

Meu perfume de jasmim.

 

Flor mulher que se desnuda,

Se desinibe e desabrocha.

Flor mulher de minhas inspirações,

És das minhas maiores aspirações.

 

Flor mulher pra quem eu canto,

Um verso, um encanto.

Flor mulher a quem brindo.

Sorrindo...

(Autor: Fernando José da Silva)



- Postado por: Delírios de Poeta às 21h19
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Sonhos De Um Palhaço

Composição: Antônio Marcos e Sérgio Sá

Vejam só
Que história boba eu tenho pra contar
Quem é que vai querer acreditar
Eu sou palhaço sem querer

Vejam só
Que coisa incrível o meu coração
Todo pintado nessa solidão
Espera a hora de sonhar

Ah, o mundo sempre foi
Um circo sem igual
Onde todos representam bem ou mal
Onde a farsa de um palhaço é natural

Ah, no palco da ilusão
Pintei meu coração
Entreguei o amor e o sonho sem saber
Que o palhaço pinta o rosto pra viver

Vejam só e há quem diga que o palhaço é
Do grande circo apenas o ladrão
Do coração de uma mulher

Ah, o mundo sempre foi
Um circo sem igual
Onde todos representam bem ou mal
Onde a farsa de um palhaço é natural

Ah, no palco da ilusão
Pintei meu coração
Entreguei o amor e o sonho sem saber
Que o palhaço pinta o rosto pra viver

Vejam só
E há quem diga que o palhaço é
Do grande circo apenas o ladrão
Do coração de uma mulher



- Postado por: Delírios de Poeta às 21h02
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Palhaço

Como Palhaço, declamei sorrisos,
plantei sementes de alegria em corações endurecidos,
esqueci-me da dor que em minh“alma se aninha..
Como Poeta, pintei emoções, fiz
sonhar os apaixonados, dei asas à emoção,
esqueci-me por momentos, a dor da saudade,
vivendo a inspiração do Palhaço e do Poeta.

Sou como o Poeta,
Sou como o Palhaço,
Artistas que fazem do dia a dia,
O palco de sua vida..!!

Autoria: Thais S Francisco



- Postado por: Delírios de Poeta às 20h55
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 20h47
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Balada do Louco

Dizem que sou louco    por pensar assim
Se eu sou muito louco por eu ser feliz
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Se eles são bonitos, sou Alain Delon
Se eles são famosos, sou Napoleão
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Eu juro que é melhor
Não ser o normal
Se eu posso pensar que Deus sou eu
Se eles têm três carros, eu posso voar
Se eles rezam muito, eu já estou no ar
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Sim sou muito louco, não vou me curar
Já não sou o único que encontrou a paz
Mas louco é quem me diz


- Postado por: Delírios de Poeta às 09h03
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 13h27
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 13h20
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 13h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 21h56
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 21h54
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 21h51
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 21h49
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 21h21
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Gostoso Veneno

Esse amor me envenena
Mas todo amor sempre vale a pena
Desfalecer de prazer
Morrer de dor
Tanto faz, eu quero é mais amor 
Esse amor me envenena
Mas todo amor sempre vale a pena
Desfalecer de prazer
Morrer de dor
Tanto faz, eu quero é mais amor 

Água da fonte
Bebida na palma da mão
Rosas se abrindo
Se despetalando no chão
Quem não viu e nem provou
Não viveu, nunca amou 

Se a vida é curta e o mundo é pequeno
Tô vivendo morrendo de amor, ah ah
Gostoso veneno 

Esse amor me envenena
Mas todo amor sempre vale a pena
Desfalecer de prazer
Morrer de dor
Tanto faz, eu quero é mais amor 

Esse amor me envenena
Mas todo amor sempre vale a pena
Desfalecer de prazer
Morrer de dor
Tanto faz, eu quero é mais amor 

Água da fonte
Bebida na palma da mão
Rosas se abrindo
Se despetalando no chão
Quem não viu e nem provou
Não viveu, nunca amou 

Se a vida é curta e o mundo é pequeno
Tô vivendo, morrendo de amor, ah ah
Gostoso veneno 

Se a vida é curta e o mundo é pequeno
Tô vivendo morrendo de amor, ah ah
Gostoso veneno

(Alcione) 



- Postado por: Delírios de Poeta às 10h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 10h13
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 10h12
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Travesseiro Vazio



Fernando José da Silva



As noites se tornaram mais frias,
Olho para o lado e abraço o travesseiro vazio.
Nele, ainda o resto do seu perfume
que me faz sonhar.

Tive medo da noite
depois de escurecer
ficando sozinho no quarto
Sentindo falta de você.

Nem mesmo seu perfume no
travesseiro ao lado é capaz de espantar
o termo da falta que você me faz.
Neste quarto sempre noites frias,
E o cheiro do seu perfume ainda no travesseiro,
Me fazendo sonhar.

Sonhar que você ainda virá,
Que ouço o barulho do chuveiro
Então fico esperando você se deitar.
Acordo sempre assustado, ainda meio adormecido,
Sentindo a enorme falta que você me faz.

(Repasse com os devidos créditos)



- Postado por: Delírios de Poeta às 17h35
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Sempre Seu Homem

Olha o nosso amor valeu
Quando a gente fez a primeira vez
Foi lindo como aconteceu
Desejo de verdade,
Paixão sem maldade
Quando dei por mim eu estava assim
preso no seu laço
Me perdi de amor quando vi você linda
em meus braços.

Não consigo esquecer esta emoção
De uma vez vem me entregar o seu coração
Da paixão não sei fugir meu amor vê se não some
Te fiz mulher pra ser sempre seu homem.

Te fiz mulher pra ser sempre seu homem.
(Autor: César Menotti & Fabiano)


- Postado por: Delírios de Poeta às 17h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Fico Assim Sem Você

Avião sem asa
Fogueira sem brasa
Sou eu assim sem você
Futebol sem bola
Piu-piu sem Frajola
Sou eu assim sem você

Porque que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil auto-falantes
Vão poder falar por mim

Amor sem beijinho
Buchecha sem Claudinho
Sou eu assim sem você
Circo sem palhaço
Namoro sem amasso
Sou eu assim sem você

Tô louco pra te ver chegar
Tô louco pra te ter nas mãos
Deitar no teu amasso
Retomar o pedaço
Que falta no meu coração

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver
Mas o relógio tá de mal comigo(2x)
Por quê? Por quê?

Neném sem chupeta
Romeu sem Julieta
Sou eu assim sem você
Carro sem estrada
Queijo sem goiabada
Sou eu assim sem você

Porque que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil auto-falantes
Vão poder falar por mim

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver
Mas o relógio tá de mal comigo (2x)
Por quê? Por que?
(Autor: Buchecha)


- Postado por: Delírios de Poeta às 17h07
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 16h53
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Quem não chora



- Postado por: Delírios de Poeta às 16h49
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________