Histórico:

- 05/06/2016 a 11/06/2016
- 17/11/2013 a 23/11/2013
- 13/10/2013 a 19/10/2013
- 04/08/2013 a 10/08/2013
- 28/07/2013 a 03/08/2013
- 29/07/2012 a 04/08/2012
- 22/07/2012 a 28/07/2012
- 03/06/2012 a 09/06/2012
- 27/05/2012 a 02/06/2012
- 22/04/2012 a 28/04/2012
- 25/10/2009 a 31/10/2009
- 18/10/2009 a 24/10/2009
- 19/07/2009 a 25/07/2009
- 07/06/2009 a 13/06/2009
- 10/05/2009 a 16/05/2009
- 03/05/2009 a 09/05/2009
- 26/04/2009 a 02/05/2009
- 24/08/2008 a 30/08/2008
- 22/06/2008 a 28/06/2008
- 08/06/2008 a 14/06/2008
- 01/06/2008 a 07/06/2008
- 25/05/2008 a 31/05/2008
- 18/05/2008 a 24/05/2008
- 11/05/2008 a 17/05/2008
- 04/05/2008 a 10/05/2008
- 27/04/2008 a 03/05/2008
- 13/04/2008 a 19/04/2008
- 30/03/2008 a 05/04/2008
- 23/03/2008 a 29/03/2008
- 16/03/2008 a 22/03/2008
- 02/03/2008 a 08/03/2008
- 24/02/2008 a 01/03/2008
- 17/02/2008 a 23/02/2008
- 10/02/2008 a 16/02/2008
- 03/02/2008 a 09/02/2008
- 27/01/2008 a 02/02/2008
- 20/01/2008 a 26/01/2008
- 13/01/2008 a 19/01/2008
- 06/01/2008 a 12/01/2008
- 30/12/2007 a 05/01/2008
- 23/12/2007 a 29/12/2007
- 16/12/2007 a 22/12/2007
- 09/12/2007 a 15/12/2007
- 02/12/2007 a 08/12/2007
- 25/11/2007 a 01/12/2007
- 18/11/2007 a 24/11/2007
- 11/11/2007 a 17/11/2007
- 04/11/2007 a 10/11/2007



Outros sites:

- UOL - O melhor conteúdo
- BOL - E-mail grátis


Votação:

- Dê uma nota para meu blog

Indique esse Blog


Contador:

Blog Sensual





- Postado por: Delírios de Poeta às 13h52
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 13h51
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 17h06
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 17h04
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Meu coração chora

 

Meu coração chora, lágrimas que os olhos não pode chorar.

Enquanto lágrimas de orvalho escorrem das rosas,

Lágrimas de sangue brotam do meu coração.

Meu coração chora, o que a alma não pode chorar.

 

Meus olhos choram, todo pranto que o coração,

Não consegue chorar ou não pode suportar.

Meu coração grita de tristeza e de agonia...

 

Meu coração chora, lágrimas de sangue.

Não por falta de amor, ou por falta de carinho.

Mas porque quem tanto amo é incapaz de acreditar.

Nesse amor tão sincero...

 

Meu coração chora, porque não pode gritar.

Meus olhos choram de tanto amar.

E a única verdade que posso compreender,

É a quem sem você não se viver.

 

Não sei amar, não sei respirar.

Lágrimas de sangue.

Meu coração só faz chorar.

Lágrimas dos olhos...

Porque o coração só não pode suportar.

(Autor: Fernando José da Silva)



- Postado por: Delírios de Poeta às 16h50
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 14h36
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 14h33
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 13h58
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 11h17
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 11h08
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




O tempo

Senhor e dono absoluto de si.

Tempo que se escoa, que se esvaí.

Tempo que passa e não volta.

Tempo... Tempo...

 

Tempo que corre.

Voraz, rapidamente.

Tempo que não espera.

Tempo que desespera.

 

Tempo de tudo e pra tudo.

E nós prisioneiros desse tempo.

Prisioneiros em busca de liberdade.

 

E a única forma de nos livrarmos da prisão do tempo.

É vivendo um dia de cada vez,

Cada momento, cada instante,

E aproveita-lo como se fosse único.

 

E como é dificil chegar a essa conclusão.

Mais dificil ainda é vive-la...

(Autor: Fernando José da Silva)



- Postado por: Delírios de Poeta às 12h27
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 12h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




O amor e seus desáfios



- Postado por: Delírios de Poeta às 16h50
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 16h35
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




= Declaração dos Direitos do Amor =
© Silvia Schmidt ©


Considerando ser o Amor
o maior de todos os agentes de Utilidade Pública,
PROCLAMA-SE O QUE SEGUE:


Artigo 1º
O amor pode apropriar-se de todo e qualquer coração,
com ou sem anuência do dono.

Artigo 2º
Em presença de sentimentos inferiores, tais como a raiva,
o ódio e o ressentimento, ao Amor é permitido julgá-los e
extraditá-los sem direito a reconsideração da pena.

Artigo 3º
O Amor deve ser respeitado em todas as suas formas,
sejam elas dirigidas a pessoas, coisas, vegetais ou animais.

Artigo 4º
Ao Amor é sempre permitida a companhia do perdão,
pois que sem este Ele está falsificado.

Artigo 5º
O Amor tem o direito de ficar cego, surdo e mudo
quando em presença de maledicências
e pode apresentar-se como agente de paz
diante de desarmonias e atos prejudiciais
a todos os seres do Planeta.

Artigo 6º
O Amor tem licença plena para manifestar-se livremente,
independente de raça, credo ou religião.
Ele é incondicionalmente livre
para viver em seu habitat natural: o coração.

Artigo 7º
O Amor é bússola que aponta o caminho para a Felicidade
e assim deve ser indiscutivelmente reconhecido.

Artigo 8º
A todo aquele que banir o Amor do seu coração
será imputada a pena de solidão,
isolamento e sofrimento perpétuos.

Artigo 9º
O Amor nunca deverá ser responsabilizado por dores,
perdas ou danos e tem amplos poderes para neutralizar
todas as batalhas, sejam elas emocionais, familiares ou sociais.

Artigo 10°
Ao Amor não se aplicam Leis Trabalhistas:
Ele pode exercer suas funções 24hrs por dia
durante TODOS os dias do ano.

Artigo 11°
Quando o Amor entra em corações, deve ser bem recebido,
bem tratado, bem nutrido e absolutamente livre para agir
em prol de todos os envolvidos por Ele.

Artigo 12°
Em nenhuma hipótese o Amor deverá ser álibi
para atitudes de más intenções, tais como usá-Lo
como desculpa para enganar, iludir ou controlar corações.
Também nunca poderá ser instrumento de brincadeira
com o sentimento do homem ou da mulher.

Artigo 13°
Toda e qualquer tentativa de matar o Amor será tratada
pelo Universo como crime contra a vida do próprio mandante.

Artigo 14°
O Amor é partidário da Lei de Causa e Efeito:
Ele pode partir em definitivo da Vida daqueles
que optam pelo sofrimento diante das adversidades,
e também daqueles que se deixam cair em abandono.

Artigo 15°
Ao Amor nada deve ser acrescentado
e Dele também nada retirado,
posto ser o mais perfeito de todos os sentimentos
e manifestação absoluta de Deus.

Parágrafo Único:
Os Direitos do Amor sempre protegerão os legítimos
Direitos de Todos os Seres.


= REVOGUEM-SE TODAS AS DISPOSIÇÕES EM CONTRÁRIO =



- Postado por: Delírios de Poeta às 16h33
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________






- Postado por: Delírios de Poeta às 19h26
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________




Amo-te...

Puro e simplesmente amo-te.

Não por seres um sonho ou uma fantasia.

Mas porque és o mais real dos amores.

 

Amo-te...

E não por seres uma lembrança.

Ou por simplesmente serdes um sonho.

Tampouco porque és o meu resto de nostalgia.

 

Amo-te...

Pelo fato de saber o quanto sou amado.

Por tantas pedras que removemos do caminho.

Por tantos sonhos realizados.

 

Amo-te...

Puro e simplesmente amo-te.

Porque és a perfeição.

A minha razão.

 

Amo-te...

Mesmo que seja preciso sonhar.

Ressonar e delirar.

 

Amo-te...

Até mesmo quando,

sou incapaz...

De conjugar o verbo amar.

 

(Autor Fernando José da Silva)



- Postado por: Delírios de Poeta às 19h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

___________________________________________________